• Gelson Celistre

Quebra de contrato

Atualizado: 25 de nov.

Muitas mulheres são românticas e sonham em vivenciar um grande amor, mas muito pouca gente consegue ter uma relação amorosa do jeito que idealizou, isso devido a uma série de fatores que envolvem a vida a dois, que vão desde pequenas coisas do dia-a-dia até situações de vidas passadas. Atendemos uma mulher que tem esse sonho romântico e que nunca encontrou um homem que se encaixasse em seus ideais. Isso não vem a ser nenhuma novidade pois é o que acontece com a grande maioria das pessoas, mas ela queria saber o motivo de não conseguir realizar esse sonho e fomos procurar a causa kármica.

Numa vida passada há mais de mil anos essa mulher romântica e sonhadora foi um jovem e belo rapaz que cortejava uma linda moça. Foram dois anos de relacionamento, dos 15 aos 17 anos da moça, que era um pouco mais jovem do que o rapaz. Foram dois anos de juras de amor e passeios pelos jardins, depois de meses um beijo roubado, o rapaz estava sedento de desejo pela moça e queria muito seduzi-la, mas ela era durona e não iria entregar a sua virtude para um aventureiro.

Mas o rapaz estava ávido para desvirtuar a moça e então ele prometeu a ela seu amor para todo o sempre, fizeram um pacto, um contrato de amor eterno, e só então a linda moça cedeu aos desejos do rapaz e lhe entregou sua virtude. Como todo canalha que se preze, depois de obtido o que queria da moça o rapaz a abandonou e passou a cortejar outra. A moça era extremamente romântica e não aguentou essa traição. Ela colheu muitas rosas no jardim, espalhou-as por todo seu quarto e sobre a cama, colocou seu vestido mais bonito, ingeriu veneno e se deitou em seu leito de rosas para nunca mais se levantar.

Seus pais e familiares ficaram arrasados quando a encontraram morta sobre a cama sem nem mesmo saber o motivo, foi uma dor terrível que sentiram. Depois de morta a moça passou a obsidiar o rapaz, mas quando estão no astral eles não se aproximam, só se encontram quando o rapaz está encarnado e a moça no astral. E quando ocorre do rapaz nascer do sexo feminino a moça romântica consegue ficar tão perto dela que em duas encarnações já a fez cometer suicídio.

Então por sorte do rapaz que na vida atual nasceu mulher, a energia da moça romântica que ele seduziu, quebrou o contrato, e abandonou, ainda não o fez tirar a prórpia vida, está sentindo por enquanto apenas a frustração de não ter seu sonho romântico realizado. Nós apagamos a mente da moça romântica e a encaminhamos para reencarnação. Quanto ao contrato que o casal fez no passado nós desmanchamos, e isso foi um capítulo à parte.

Na ocasião eles invocaram um deus do amor para selar o pacto, o acordo de amor eterno, e um espírito que no astral se identificava como sendo esse deus pegou o serviço e selou a união entre os dois, usou a energia deles, inclusive a sexual, para criar a uma forte ligação entre os dois, motivo pelo qual eles acabam se encontrando sempre nessas condições da moça obsidiar o rapaz, pois esse espírito metido a deus do amor se nutre da energia dessas pessoas, a energia do amor inicial dos apaixonados, que eles queriam que durasse para sempre.

A questão é que esse espírito se nutre dessa energia, do amor inicial, naquele momento onde só o que existe é a paixão, ainda não houve o casamento, não tem a monotonia do dia-a-dia que transforma aquele lindo amor em uma rotina sem paixão. Por esse motivo o tal deus do amor provoca o rompimento em todos os que fizeram esse pacto selado por ele, faz com que o casal termine, para que aquele amor puro continue existindo e não se transforme em outra coisa.

Mais de mil anos se passaram e aquele deus do amor ainda vivia fazendo isso, provocando términos de relacionamentos, para se alimentar dessa energia e já fez isso com mais de 10.000 casais. Atualmente ele estava conectado com mais de 500 pessoas como essa mulher que atendemos, as vampirizando e se deliciando de certa forma com seu sofrimento.

O mais curioso é que investigando o motivo desse espírito fazer isso vimos que numa encarnação antiga dele ocorreu um pacto também, um contrato entre ele e uma moça por quem ele era apaixonada e com quem veio a se casar. Ele era um rapaz romântico e fez um pacto com a namorada, fizeram o ritual e tudo, só que ela não queria, achava que não tinha nada a ver jurar amor eterno. E se ele morresse ela ia ficar sozinha o resto da vida? Era uma moça muito prática e durante o ritual não quiz selar o acordo mentalmente e portando não se conectou com o rapaz.

Eles se casaram e viveram alguns anos juntos, mas ele morreu e ela se casou com outro homem. Ele no astral saiu atrás do amor verdadeiro, esse que dura para sempre, e a conclusão dele foi que parar durar para sempre do mesmo jeito tem que acabar no início, antes de casamento e rotina. Apagamos a mente desse deus do amor eterno e cortamos a ligação dele com as pessoas que já fizeram pacto com ele.

Cuidado ao fazer algum contrato, pois a quebra pode gerar uma multa pesada, e a dívida não expira.

302 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Odin