top of page

O pecado da luxúria

A depressão pode ter várias causas e uma das mais comuns é a obsessão. Atendemos um rapaz que tem depressão, já tentou se matar várias vezes desde o início da adolescência e atualmente encontrou um refúgio nas drogas, pois ao se drogar ele não sente a pressão dos obsessores sobre ele. Esse caso é interessante porque esse rapaz estava sem reencarnar há cerca de 600 anos.

Numa vida passada na Europa num pequeno reino que nem existe mais esse rapaz foi um católico fervoroso, era casado, mas teve um relacionamento amoroso extraconjugal e se arrependeu muito por ter cometido o pecado da luxúria. Como era um bom católico ao invés de culpar a si mesmo pelo seu erro, foi se confessar e acusou a moça com quem se relacionou fora do casamento de bruxaria, disse que ela o enfeitiçou, e ainda se voluntariou para trabalhar como carrasco na Inquisição como forma de redenção pelo pecado que ele foi induzido a cometer.

A primeira vítima dele como carrasco foi a própria moça com quem se envolveu, ele a torturou, decapitou e depois queimou o corpo e a cabeça dela, afinal era uma bruxa. Para se redimir de seu pequeno pecado da luxúria ele continuou atuando como carrasco para o Santo Ofício e no total ele torturou, decapitou e queimou 105 pessoas acusadas de heresia, todos inocentes. Ele achava que tinha que acabar com todas as bruxas para ter o perdão de Deus.

Naquela vida mesmo, após sua morte, ele foi preso pelas suas vítimas que fizeram com ele tudo o que ele fez com elas, ele era torturado por muito tempo, depois o colocavam de joelhos e o decapitavam e ateavam fogo nele. Depois de algum tempo contemplando essa cena ele era pego novamente, juntavam a cabeça ao corpo e reiniciavam o processo de tortura e morte do carrasco. Isso estava acontecendo ininterruptamente por seis séculos e só foi interrompido porque o carrasco foi puxado para reencarnação pelo mesmo casal que foram seus pais naquela vida passada.

Na vida atual quando criança ele já não dormia bem, quebrava cabeças de estátuas de santos, mas foi no início da adolescência que suas antigas vítimas o encontraram devido a um problema no casamento dos pais, isso abriu a frequência de vida passada e os espíritos passaram a obsidiá-lo, na mente dos espíritos ele havia escapado e queriam que ele morresse para continuarem a puni-lo, por isso o induziam a se matar.

Muito próximo dele havia cerca de 50 espíritos e se aproximando mais uns 100, vítimas e parentes das vítimas que ele torturou e matou como carrasco. Todos os espíritos que o obsidiavam foram obliviados e resgatados. Na aldeia em que viviam esses espíritos havia mais umas 800 pessoas que também foram mortas por heresia em outros períodos que nós resgatamos também.

Ficar 600 anos sem reencarnar é algo incomum, geralmente só espíritos com algum conhecimento, geralmente magos e bruxos, conseguem evitar a reencarnação por tanto tempo, mas nesse caso foi o ódio de centenas de espíritos. Seria menos penoso para esse homem se ele tivesse ficado apenas com o pecado da luxúria, pois para se redimir perante Deus ele incorreu em vários outros pecados que o mantiveram preso e sofrendo por séculos.

Posts Relacionados

Ver tudo

3 Comments


Gabriel Juambeltz
Gabriel Juambeltz
Nov 10, 2023

Pergunta..existe a possibilidade de que algum desses 800 espíritos resgatados dessa frecuencia, estejam atualmente encarnados? Ou seja, a apometria poderia ser coletiva, onde alguém decide ir primeiro procurar a técnica e várias pessoas encarnadas se beneficiam sem desconfiar...simplesmente chegou a hora de fechar esse ciclo por uma intervenção divina, onde voçes fazem parte de um propósito maior de limpeza astral em diversos níveis da existência?

Like
Unknown member
Nov 10, 2023
Replying to

Existe a possibilidade de uma pessoa estar encarnada e ter uma frequência aberta no astral, ou seja, viver duas vidas ao mesmo tempo e até mais, mas não era esse o caso desses 800 espíritos, esses eram todos desencarnados.


Like

graca08almeida
Nov 09, 2023

Incrível o acontecimento, como é complexa Vida

Like
bottom of page