top of page

O mestre dos sete raios

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 12/7/2011)


Há alguns dias recebi um e-mail com uma psicografia cuja autoria espiritual era atribuída a uma pessoa muito conhecida e polêmica no meio televisivo aqui no Brasil, por conta de ser ela muito "desbocada" e estar sempre falando palavrões quando estava "viva". A primeira "pista" para se identificar uma mistificação é a autoria; se for atribuída a uma pessoa muito conhecida quando viva já é um indício de que o autor está querendo chamar a atenção mais pelo nome do que pelo conteúdo.

Como já sei que essas mensagens são todas "fraudulentas" e não me acrescentam nada de útil nem costumo ler, apenas deleto. Entretanto, me "deu na telha" de ler essa. Afinal, meu trabalho é diretamente com entidades trevosas e de vez em quanto tenho que me "atualizar" acerca das artimanhas que eles estão desenvolvendo. Tem uma parte da suposta mensagem onde a autora espiritual relata sua estadia em um local de baixa vibração, um bordel para ser mais exato, e essa parte é bastante plausível, é condizente com as situações que existem nos bordéis do astral inferior. Até aí tudo bem.

No meio da narrativa ela fala sobre uma "deusa" vestida de vermelho que a resgatou, irradiando beleza e luzes como se fossem fogos de artifício, uma tal de deusa do "raio rubi". Depois tem uma enrolação onde ela conta que uma tal de mestra Nada mandou buscarem ela e tal, que foi pra colônias e o escambau, diz que assistiram num telão que o Sai Baba foi não sei pra onde, e que a mandaram seguir "as pegadas" de Jesus, Buda, Chico Xavier, Mestra Nada, etc.

Outras pistas da mistificação: a entidade associa o nome de um espírito qualquer ao de espíritos reconhecidamente elevados, no caso aqui a tal de "Mestra Nada" com espíritos como Jesus e Buda. As afirmações sobre as entidades que eles querem "autenticar" vem junto com informações que já são de conhecimento comum, como fatos sobre a vida em colônias e cidades astrais, amplamente divulgadas em livros espíritas. Sem falar em aberrações escancaradas como afirmarem que a mensagem seria para comemorar não sei quanto tempo lá que existe o blog divulgando essas insanidades. Resumindo, no geral essa "psicografia" podia até ser da pretensa autora espiritual, pois a vida dela era muito conhecida e para quem é do meio espírita/espiritualista não seria tão difícil imaginar que ela fosse parar num local como o que ela relata, um bordel.

Realmente é complicado para um leigo ou alguém com conhecimento superficial sobre espiritismo/espiritualismo identificar certas coisas que denotam que a mensagem é fraudulenta. Claro que se tivessem uma boa base, ou seja, se tivessem estudado Kardec e Ramatis, identificariam com facilidade. Bem, o caso é que eu li isso e acabei encontrando um velho conhecido. Ao ler o e-mail eu me desdobrei e fui parar numa região qualquer do astral. Não foi intencional e eu nem percebi que estava nesse local, até que logo depois encontrei uma médium que trabalha comigo e ela me perguntou onde eu estava, pois ela sentiu que eu estava (desdobrado) "longe".

Fomos verificar onde eu estava e a médium logo começou a sentir um frio glacial. Era um local de vibração muito baixa porque até eu senti esse frio, e olha que hoje estava quente aqui no Sul, pois depois de uma semana com temperaturas abaixo de zero estava 17° C nessa hora. Eu estava desdobrado em um laboratório observando o espírito de uma mulher que estava lá, também desdobrada, toda amarrada e amordaçada, com os cabelos desgrenhados. A médium diz que, apesar da situação em que se encontra, a mulher parece meio enlouquecida. Há uma movimentação muito grande de médicos e enfermeiras nesse lugar.

A médium continuava a sentir muito frio e começou a sentir uma forte tontura. Nesse laboratório é onde criam os "artificiais" dos 7 raios, e ela tbm viu nesse local uma mulher com aparência angelical, e embora estivesse trajando um vestido vermelho, parecia mesmo uma deusa, com um olhar de um ser "do bem". A imagem que ela viu e que muitos médiuns enxergam é uma criação artificial desse laboratório, a tal "Mestra Nada". Além dessa tal "mestra do raio rubi", existiam mais seis artificiais representando os outros 6 "mestres" dos raios coloridos, que na verdade não existem realmente, são apenas criações materializadas no astral.

'Ligados a esse local haviam milhares de pessoas encarnadas, todas deslumbradas com a "beleza" dos tais mestres dos raios coloridos, que seriam azul, dourado, rosa, branco, verde, violeta, etc., cada um com um "mestre". No caso o do rubi seria uma tal de "Mestra Nada". Essas pessoas são principalmente médiuns fascinados e hipnotizados, presas da própria vaidade. Logo em seguida apareceu o mentor dessa grande ilusão, o mestre do raio que o parta, um antigo mago, que me conhecia dos meus tempos (mais) trevosos. Seu corpo astral está em farrapos, quase desaparecendo, pois ele evita a reencarnação necessária há muitos milênios. Ele se esconde sob um longo manto escuro com capuz lhe cobrindo o que ainda resta da cabeça. Ele precisa da energia desses encarnados fascinados para se manter.

Ele já havia percebido nossa presença e atacou a médium, fez um gesto em espiral na testa dela que lhe provocou tontura, os olhos lacrimejaram muito, e ela não conseguia mais enxergar com sua vidência. Logo que ela começou a enxergar percebeu que eu estava me apresentando vestido como um mago, com uma túnica negra e usando um medalhão com o símbolo do pentagrama no peito, e junto a mim vários outros magos que pertenceram a essa mesma Ordem em épocas remotas. Criamos uma espécie de energia no formato do pentagrama e ela começou a sugar tudo que havia ali, inclusive o velho mago, mestre do raio que o parta, que embora relutante, foi preso por nós juntamente com os artificiais dos 7 raios que ele criou e que mantinham milhares de pessoas fascinadas e vampirizadas.

Enquanto isso a médium, agora em desdobramento supraconsciente como uma sacerdotisa, paralisou os cientistas. Me dirigi à mulher amarrada ali e a libertei, era a médium que recebeu a tal psicografia, e lhe disse para esquecer esses mestres dos raios e voltar para seu corpo físico. O pessoal de nossa equipe espiritual chegou para levar os cientistas que a médium prendeu e tbm para libertar milhares de encarnados ligados aos tais mestres dos raios coloridos. Após eles terminarem, os magos que estavam comigo começaram a destruir o local. Enquanto isso eu emiti uns comandos para as pessoas que estavam ligadas a esses mestres dos raios coloridos não busquem esse tipo de "espiritualidade", baseada no deslumbramento e nas futilidades, onde a "salvação" não depende da "reforma íntima", de mudança de maus hábitos, mas de afirmações tolas de "eu sou isso "eu sou aquilo", invocações, etc.

Após isso eu estava conversando com a médium sobre o atendimento e ela entrou no blog que divulga essas msgs, provocando um desdobramento da pessoa que recebeu a psicografia, que incorporou na médium e me perguntou o que eu estava fazendo ali, que eu me metia em tudo, etc. Ficou fazendo afirmações de "eu sou luz" e perguntando se eu não queria a ajuda dela... enfim, totalmente fascinada com o que imagina ser a "luz". Ainda mostrei a ela o mestre dos sete raios preso e as criações artificiais que ela cultua como deuses, mas ela não acreditou. Mandei-a de volta para seu corpo e dei o caso por encerrado.

286 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

La llorona

Comments


bottom of page