top of page

Laços familiares kármicos

Através do mecanismo da reencarnação muitos espíritos acabam criando laços familiares, mas nem sempre são atraídos para nascer numa família por algum sentimento de afeto e sim por ações que geraram um Karma em comum, um Karma que poderíamos chamar de familiar. Esse é o caso em tela no qual atendemos uma mãe e posteriormente seu filho, a pedido de uma tia da criança, pois a mãe é falecida.

Há quase dois anos atendemos a mãe da criança, que chegou a nós com um câncer em estado terminal já à beira da morte, tanto que ela faleceu cinco dias após o atendimento. Essa mulher descobriu um câncer muito agressivo no cérebro estando gestante de seis meses, a criança nasceu prematura, ela foi submetida a uma cirurgia para retirar o tumor mas não resistiu. Fizeram alguns trabalhos de magia com um pai-de-santo para tentar salvar a vida dela, inclusive troca de vida, mas não adiantou. Nossa equipe espiritual informou que ela morreria em cerca de dois anos após a cirurgia para retirada do tumor, mas devido aos trabalhos de magia para tentar salvá-la ela morreu em cerca de seis meses, teve um ano e meio a menos de vida.

Vimos que a causa kármica dela ter tido esse câncer agressivo no cérebro foi uma vida passada na qual ela era uma sinhá numa fazenda de escravos. Ela teve um filho e pegou uma escrava para ser ama de leite desse filho, a ama de leite havia tido um filho um pouco antes dela então estava produzindo leite. A questão é que a sinhá não queria que a escrava amamentasse o próprio filho para que não faltasse leite para seu bebê e a escrava amamentava o próprio filho escondido da sinhá.

Em certa ocasião a sinhá flagrou a escrava dando de mamar para o próprio filho, ficou com muita raiva por ter sido desobedecida, e deu várias pauladas na cabeça da escrava, que acabou perdendo a capacidade motora e morreu em cerca de seis meses. O bebê da escrava foi deixado em um canto sem ser alimentado e morreu em poucos dias. A reação da sinhá em relação a essa escrava em particular, causando-lhe a morte e de seu filho, foi porque o marido da sinhá se deitava com essa negra e o filho que ela teve era dele, por isso ela odiava a negra.

Essa mulher morreria em função desse câncer de qualquer forma, mas os trabalhos de magia adiantaram o processo de morte, pois quando engravidou atraiu para junto dela o espírito da escrava que ela causou a morte, pois o marido dela na vida atual é o mesmo espírito que foi seu marido naquela vida.

Foi a presença dessa escrava junto dela que causou o câncer pois a escrava ainda estava presa nessa frequência de vida passada e passou a doença que teve na cabeça para a mulher agora. Quando foram fazer os trabalhos de magia para salvar a vida da mulher no terreiro, viram essa negra junto com ela e acreditaram que fosse uma guia espiritual dela, pegaram toda a energia do trabalho de magia e deram para a negra, que fortaleceu a ligação com a mulher e ela morreu mais cedo, nos mesmos seis meses que a negra morreu na outra vida.

A criança que essa mulher chegou a ter na vida atual sobreviveu e está com uns dois anos e meio de idade. A tia nos contatou porque apareceu no pescoço da criança alguns caroços, o que deixou ela e a avó da criança apreensivas. Essa tia é mais um laço nessa família pois naquela vida passada ela cunhada da sinhá, era irmã do dono da fazenda.

Mas aí chegamos na criança e descobrimos o laço que ela tinha com essa família em que nasceu agora. Essa criança nessa vida passada era um empregado da fazenda e uma de suas atribuições era se livrar dos bebês das escravas. Como tinha muitos escravos na fazenda, tanto homens como mulheres, algumas escravas acabavam engravidando e criar essas crianças dava muito trabalho, as mães não poderiam trabalhar normalmente. As escravas escondiam a gravidez que só era descoberta quando a barriga já estava muito grande, se abortassem tinha o risco delas morrerem, então deixavam as escravas parir e depois davam um fim nos bebês.

O tal empregado durante sua vida deu fim em 64 bebês de negras escravizadas, sete ele conseguiu vender e ganhou algum dinheiro, os outros 57 bebês, alguns ele jogou no mato para os animais selvagens comerem, mas a maioria ele jogou aos porcos para serem devorados, quase a metade ele deu aos porcos ainda vivos e 30 bebês ele matou antes de dar aos animais, matou destroncando o pescoço como se faz com galinhas.

Esses caroços no pescoço da criança são o karma que ela gerou nessa vida passada e tem potencial cancerígeno, mesmo que nenhum dos bebês que ele matou estejam perto dele, pois encontramos apenas oito bebês que ficaram presos na frequência. Nossa equipe espiritual fez uma cirurgia espiritual na criança e ela provavelmente vai ter que fazer uma cirurgia no físico também, pode sobreviver e se isso acontecer vai ter algumas sequelas na audição.

Quando nos encontramos com pessoas com as quais convivemos em vidas passadas acabamos puxando para resgate o karma que geramos nessas vidas com essas pessoas. Ao encontrar na vida atual o homem que foi seu marido nessa vida passada a sinhá puxou a escrava que ela causou a morte juntamente com o filho e o empregado da fazenda que tinha por tarefa matar os bebês das escravas.

A mãe e o filho hoje são os que tinham o karma mais pesado, tanto que a mãe não sobreviveu e a criança só está tendo uma chance porque foi feito esse atendimento de apometria para ela, senão a morte era certa. Ainda não está totalmente fora de perigo mas a chance dele viver passou de nenhuma para alguma, é o que o karma dele permitia que fosse feito.


Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page