• Gelson Celistre

Exu Veludo

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 25/4/2022)


Hoje atendemos um caso em que uma mulher fez muitos trabalhos de magia com um pai-de-santo que trabalhava com um Exu Veludo e pediu para desfazermos. Foram trabalhos para prosperidade, para arrumar emprego, para proteção, para desmanchar trabalho de magia que fizeram contra ela, fez comida para o santo, etc.

Um detalhe é que a mulher nunca quiz fazer trabalhos com sangue pois é contra matança de animais e quando abrimos a frequência dela o Exu Veludo já se apresentou dizendo que ela pediu um monte de coisas e na hora de pagar ficava de nojinho, que não queria sangue, e agora ainda queria se limpar das energias deles, mas disse que foi ela que foi atrás de ajuda no terreiro.

A mulher relatou algumas coisas que o Veludo havia mandado ela fazer para conseguir o que queria e duas delas de cara eu já vi que não era o que ela imaginava, pois segundo ela lhe mandaram rasgar roupas dela e jogar na rua e também jogar moedas na rua. O que se faz em um trabalho de magia é uma representação do que se quer obter com o feitiço, então se a pessoa quer prosperidade não vai ser jogando suas roupas rasgadas na rua e moedas que ela vai conseguir, pois isso simboliza que você está esfarrapada na sarjeta e jogando dinheiro fora, ou seja, está afastando a prosperidade de você. Perguntei se por acaso o seu Veludo já conhecia essa mulher de outra vida e ele disse que sim, contou que ele foi escravo, era pai-de-santo na senzala, e a mulher era a sinhá, era casada com o dono da fazenda, e procurou ele para fazer um trabalho de magia para que o marido sossegasse em casa, para que não se interessasse por outras mulheres. Ele disse que precisaria de um boi e bebidas para o trabalho e ele prometeu que lhe daria, ele já estava contando com a festança que fariam na senzala comendo o boi, mas no dia combinado ela só lhes trouxe algumas galinhas. O pai-de-santo ficou indignado, mas não podia exigir nada, fez o trabalho meia boca assim como foi o pagamento e não deu resultado nenhum, pois o sinhô continuou mulherengo. Algumas vidas depois eis que a sinhá bate no terreiro onde se encontra aquele pai-de-santo, agora como guia da casa e se apresentando com o nome de Exu Veludo. Tudo que ele tinha engolido naquela vida ele descontou. Todos os trabalhos que a sinhá pagou agora, meia boca como antes conforme ele mesmo disse pois não quis pagar o preço pedido, ele fez com intenção oposta, para a mulher não conseguir nada do que queria. Na fazenda onde o Veludo foi pai-de-santo ainda havia cerca de 200 negros escravizados, que nós resgatamos, e conversando com o Veludo mostrei a ele para onde nós os levamos, abrindo para ele a oportunidade de ir viver lá. Ele ficou receoso, em dúvida, muita esmola ele ficou desconfiado, mas lhe dei a oportunidade de ir ver como era a cidade no astral e caso ele não gostasse poderia voltar, não apaguei a mente dele. Por fim desmanchamos os trabalhos que a mulher fez e que foram apenas para prejudicá-la. Essa situação já nos deparamos várias vezes e já alertei em outros posts e nas lives que fiz. A pessoa vai atrás de qualquer coisa em um terreiro e encontra lá espíritos de negros que foram escravos dessa mesma pessoa, e os trabalhos que essas pessoas fazem os espíritos fazem com intenção oposta, para prejudicar e não ajudar a pessoa.

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo