top of page

Elementais

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 7/6/2019)


Recentemente nos deparamos com uma situação inusitada. Ao averiguarmos o motivo de uma dor de cabeça de uma pessoa que atendemos à distância nos deparamos com um tipo de cristal inserido na cabeça da consulente. Essa pedra tinha a finalidade de absorver a energia mental e os pensamentos da consulente, mas descobrimos que foi colocada nela com seu consentimento. Esse era o pagamento que ela teria que fazer para obter uma outra pedra que ela queria. Ela teria que deixar essa pedra na cabeça dela até que ela estivesse "carregada" e depois quando a entregasse receberia a pedra que ela queria.

Essa outra pedra era um cristal carregado de energia amorosa e a consulente tencionava colocar no peito de uma pessoa, um familiar, que ela achava que estava meio distante dela emocionalmente. Fomos atrás de quem forneceria essa pedra a ela e chegamos num imenso complexo de cavernas. Nesse local vimos vário grupos de seres que controlavam túneis de acesso ao local onde era extraídos esses cristais.

Mas não era de alguma mina que extraíam essas pedras e sim de um ser elemental cuja pele soltava essas pedras e elas continham energias em estado de pureza praticamente original. Dependendo de qual parte do corpo do elemental a pedra era retirada ela continha um tipo de energia, por exemplo, um pedra retirada do peito dele possuia a energia do amor, uma pedra da cabeça energia mental, e assim por diante. Quando retiravam uma pedra da pele dele, que era toda craquelada, ficava um buraco no local mas depois ela se regenerava.

Este ser estava literalmente acorrentado e essa sua particularidade era explorada "comercialmente" por espíritos das trevas ligados a vários grupos. Pare se chegar onde ele estava tinha que se passar por vários locais e tinha que se "pagar" alguma coisa para quem controlava aquele ponto, pois essas pedras com energias puras são consideradas uma mercadoria muito preciosa. Alguns espíritos inclusive "pagavam" apenas para ver esse ser, como se ele fosse uma atração circense.

Nossa equipe conseguiu criar um túnel nesse complexo de cavernas que nos levou diretamente ao elemental, nós o libertamos e o retiramos dali. Costumamos trabalhar com elementais, principalmente com as salamandras, que usamos para queimar feitiços, mas este que encontramos ainda não conhecíamos aqui no físico.

Pela classificação usual ele seria um elemental da terra, um gnomo, mas sua aparência não lembra em nada a imagem tradicional dos gnomos, que costumam ser retratados como pequenos anões barbudos. Os médiuns tiveram muita dificuldade em descrevê-lo, mas parecia ser algum tipo de dragão, e sua pela era toda craquelada, como a de um crocodilo, mas com formas geométricas diversas, realmente muito difícil de descrever.

Ele quando estava preso por correntes era enorme, cerca de uns 15 metros, e havia três espíritos puxando as correntes tentando controlá-lo, pois estava agitado, mas depois que o libertamos ele ficou bem pequeno, do tamanho de um cachorrinho de estimação, virou um dragãozinho pet. Não encontramos na literatura convencional nenhum relato de algum ser elemental com essas características e nem de que se poderia "utilizá-los" dessa maneira, lhe tirando pedaços literalmente, mas certamente nos grimórios não acessíveis aos grande público eles devem ser citados.

56 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Bará

bottom of page