• Gelson Celistre

Dedo podre

Muitas mulheres que atendemos nos relatam que tem o dedo podre para relacionamentos, pois sempre escolhem parceiros que as enganam e lhes provocam sofrimento e geralmente as causas são kármicas, pois o que já fizemos para outras pessoas em vidas passadas acaba acontecendo conosco. Uma situação muito comum é de mulheres que foram prostitutas em vidas passadas, muitas exploraram homens apaixonados lhes tirando tudo o que tinham de bens e outras simplesmente se viciaram em ter vários parceiros, em jogos de sedução, e trazem para a vida atual essa energia de sexo, geralmente também algum espírito feminino com muito apetite sexual que era colega em outra vida, e costumem ter uma vida sexual muito ativa na juventude, só que quando chegam na idade da loba e começam a escassear os pretendentes e elas querem um relacionamento estável não conseguem. Não tem como mudar uma energia que a pessoa tem a vida toda de repente e se a mulher está com essa energia de sexo e prostituição só vai atrair quem quer isso e não um parceiro que deseja uma relação estável.

Outra situação, que é a deste relato, é quando os papéis se invertem. A mulher de hoje foi homem em vida passada e agiu de forma canalha com outras mulheres. Como eu até já expliquei numa live sobre o karma, quando estamos resgatando um karma ele geralmente é relativo há mais de uma vida, pois as energias semelhantes vão se aglutinando em nosso reservatório kármico e quando ocorre o resgate estão todas misturadas. Esta situação é interessante pois já fizemos três atendimentos para essa cliente e dois deles tem a ver com uma mesma vida. No primeiro atendimento tratamos a relação dela com a mãe, no segundo um problema de obesidade e no terceiro relacionamentos, no qual ela relata ter o dedo podre.

Numa vida passada a mulher foi filha de um fazendeiro, os pais tinham uma fazenda com escravos, ela era a sinhazinha, mas não se comportava à altura e sua posição social, teve três filhos sem pai, que a mãe dela deu para outras pessoas criarem, se deitou até com o capataz que cuidava dos escravos, enfim, era bem libertina. A mãe, que morreu com o sentimento de que a filha envergonhou a família, sempre teve um pé atrás com a filha na vida atual, pois não a perdoou naquela vida, e nessa novamente nasceram como mãe e filha.

Apesar de ser bastante libertina nessa vida passada a mulher rejeitou um rapaz que trabalhava na fazenda domando cavalos, o rapaz tinha 15 anos, era um pouco gordo pois tinha uma doença que o fazia engordar, e acabou morrendo aos 17 anos provavelmente de tuberculose, era apaixonado pela sinhazinha, e agora estava encostado nela provocando a obesidade nessa mulher desde que ela era criança. Ela já fez vários tratamentos médicos, emagrece, mas volta a engordar. O espírito do rapaz estava tão grudado nela que da barriga para baixo eram um corpo só, não se via diferença, era como se fosse um espírito com duas pernas, mas que da barriga para cima se dividia em dois, um homem e uma mulher. Estavam num processo quase simbiótico. Nós os separamos e encaminhamos o espírito obeso para um hospital no astral.

E em relação ao dedo podre, esta mulher foi um homem numa vida passada bem machista, tinha uma boa situação financeira, era casado, mas tinha vários casos extraconjugais. Quando estava com 47 anos ele seduziu e enganou uma moça de uma família muito pobre de apenas 15 anos, tirou ela de casa prometendo casamento sem dizer que já era casado, montou uma casa para a moça. Quando depois ele confessou que já era casado passou a prometer que fugiriam juntos para outra cidade, e quando já não queria mais a moça, que já estava com 27 anos e ele com 59, passou a agredir ela fisicamente até, e a obrigou a fazer um aborto, o quinto que ela fazia, sendo que ela adoeceu em função desse aborto e ele não prestou assistência para que ela morresse mesmo, que foi o que aconteceu.

Na vida atual a mulher que atendemos passou pela mesma situação, nunca teve um namorado sério, foi amante de um homem casado que só a enrolou, se envolvia com homens casados, teve um casamento difícil, separou, e por fim acabou sozinha. O dedo podre dela tinha um dedo daquela moça que foi amante dela na vida passada na qual ela foi um homem canalha, que jurou se vingar por ter sido iludida e enganada e jurou que faria aquele homem passar por tudo que ela passou, e a moça conseguiu sua vingança. Resgatamos a moça que ainda estava com os cinco fetos grudados nela no astral e a encaminhamos para um hospital depois de fazê-la esquecer tudo que passou. Nenhuma mulher tem o dedo podre por acaso, é sempre retorno kármico. Tem cura? Os efeitos do karma podem ser amenizados, dificilmente podem ser totalmente eliminados, mas sempre melhora um pouco.

276 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mago negro