top of page
  • Gelson Celistre

Odin

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 12/12/2020)


Muitas mulheres sonham em encontrar sua alma gêmea, um parceiro de vida que teria sido predestinado a elas por alguma razão divina. Parece lindo na teoria, mas na prática o que acontece é que casais que se apaixonam, muitas vezes levados por fantasias de amor eterno, no auge do relacionamento, fazem juras de amor ou pactos de amor eterno, como já relatamos em vários posts, como Juras de amor e Pacto de amor eterno.

Num desses casos em que o casal era muito apaixonado e fizeram rituais para o deus que cultuavam nos deparamos com um espírito que dizia ser o próprio deus Odin. Esse espírito de fato vivia como um deus no astral, tinha um enorme castelo e estava sem reencarnar há quase 5.000 anos. O casal a quem nos referimos viveu junto numa tribo nórdica onde cultuavam um antepassado que era considerado uma divindade, foi um grande guerreiro, e para ele eram feitos sacrifícios ritualísticos, oferendas, etc.

Esse casal inclusive dedicou um filho a esse deus, o que parecia ser uma prática comum naquela cultura antiga. Nas vezes que fizeram sexo com a intenção de gerar esse filho eles rezaram para o deus antes do ato e quando o filho nasceu desde pequeno lhe diziam que ele pertencia ao tal deus e que eles apenas tomavam conta dele. O homem saía muito em viagens de navio e a esposa tinha um pequeno altar em casa onde fazia oferendas a esse deus para que ele sempre retornasse para ela, para que ficassem sempre juntos, etc. onde fazia oferendas e amuletos, inclusive com sangue de animais e outras coisas.

Provavelmente não foi esse guerreiro que inspirou a lenda de Odin, mas ele foi cultuado em seu clã por ter sido um grande líder guerreiro, o que também parecia ser uma prática comum, e com tempo ele acabou recebendo as orações, rezas e oferendas que eram endereçadas ao deus Odin, pois acabou sendo associado a ele, pelo menos na região onde seus descendentes habitavam.

Esse deus Odin recebia energia de cerca de 600 casais encarnados, que no passado fizeram esses rituais pedindo a ele para os manter unidos e coisa parecida, e mais a energia de mais de 6.000 outros espíritos que foram dedicados a ele pelos pais, que ele chamava de seus filhos. Além de estar conectado a essas pessoas encarnadas ele mantinha um cemitério ao lado de seu castelo onde ficavam adormecidos outros casais que fizeram pacto com ele e também outros espíritos que eram seus filhos. Casais desencarnados no tal cemitério tinha mais de 5.000 e os filhos eram mais de 6.000.

O Odin controlava as reencarnações desses espíritos para poder continuar conectado a eles, os que reencarnam lhe doam energia, inclusive sexual. Nossa equipe fez o resgate dos desencarnados, os encarnados foram desconectados do Odin, o castelo e o cemitério dele foram destruídos e ele teve sua memória apagada. Ainda não decidiram o que fazer com ele, se vai reencarnar ou ser exilado.

Quanto ao casal que fez os rituais e pactos com Odin no passado, essas ligações que fizeram nessa e em muitas outras vidas passadas, com vários outros seres, os mantém conectados e está sendo muito difícil separá-los agora. O sonho da alma gêmea virou um pesadelo sem fim.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tulku

bottom of page