top of page
  • Gelson Celistre

Ufolândia

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 3/8/2021)


Você já teve a sensação de que não pertence a esse mundo? Gostaria de entrar numa nave espacial e sair pelo universo sem destino conhecendo novos mundos com civilizações mais adiantadas? Sonha em ser abduzido? Tem certeza que não é daqui? Bem, você não está só. Milhares de pessoas tem esses mesmos pensamentos. E isso não é de hoje, esse sentimento de não pertencimento a este mundo, esse vazio existencial, essa vontade de largar tudo e voltar para casa parece acompanhar a humanidade há milênios.

Mas esse nosso desejo por algo indefinido, essa insatisfação interior, vai se moldando ao longo do tempo com o que temos o nosso redor. Se hoje muita gente sonha em ser resgatado por alienígenas, em outros tempos essa fuga da realidade se traduzia em tentativas de contato com deuses ou demônios, através de rituais mágicos. Não que isso não exista mais, ainda existe e muito, porém de forma deturpada, pois muita gente ainda busca contato, principalmente com demônios, para obter coisas materiais, mas aqueles que sonham em vazar daqui, os que se sentem realmente deslocados e que não têm muito apego a bens materiais, esses sonham em pegar carona numa nave espacial.

Existem muitas pessoas que afirmam receber mensagens de alienígenas que supostamente estão aqui na Terra para nos auxiliar em nossa evolução espiritual, e que comandam frotas estelares que irão resgatar os escolhidos quando houver uma catástrofe no planeta. Parece até uma transposição das crenças cristãs do fim do mundo, só que ao invés de Jesus numa nuvem quem vem é um ET numa nave espacial tipo Ashtar Sheran, supostamente comandante de uma frota estelar, ou mestres ascencionados de chamas coloridas, da fraternidade branca, arcturianos, arcanjos, etc. Atendemos um homem que queria saber o motivo dele por muito tempo sonhar com naves espaciais, que entrava em naves e as pilotava, que sabia ter muito conhecimento em diversas áreas, mas que se sentia limitado aqui no físico, e que sentia uma angústia muito grande em sair daqui, queria ir embora e voltar para casa. Teve inclusive que fazer terapia para não cometer suicídio e aceitar continuar encarnado aqui nesse planeta. Investigando descobrimos que ele de fato entrava em naves espaciais e as pilotava, viajando por mundos distantes, quase voltando para casa. Os alienígenas que ele encontrava se assemelhavam a uma mistura do que temos no imaginário popularizado pelo cinema, seres magros e altos, com a cabeça e olhos grandes, boca e nariz pequenos. Conversando com o líder desses "aliens" descobrimos que ele tinha uma frota de 250 naves sobre o Oceano Atlântico. Seria para resgatar os escolhidos? De certa forma sim, os escolhidos para serem vampirizados, pois essas 250 naves eram apenas simuladores, cada uma capaz de receber 10 pessoas ao mesmo tempo, onde cada uma delas se via viajando pelo espaço, numa eterna volta para casa, só que nunca chegam ao destino, retornando durante várias noites para seguir a viagem. Era para uma dessas naves, um simulador, que a pessoa que atendemos ia quando dormia, e enquanto ela mentalmente se via viajando pelo universo sua energia era drenada para manter o líder dos aliens e seus ajudantes, cerca de 80, livres de ter que reencarnar, pois se alimentavam do ectoplasma desses sonhadores do espaço.

Mas esse líder dos aliens não foi sempre um ET, ele é um espírito que há milhares de anos se apresenta da forma que as pessoas querem. Isso me lembrou do filme Os Caça-fantasmas (Ghostbusters), de 1984, onde um demônio vai vir a Terra com a forma que as pessoas escolherem, o que elas mais temiam, e acaba aparecendo na forma do mostro de marshmalow. Mas é bem isso, é um expediente muito utilizado pelos espíritos, se apresentar com a forma que a pessoa quer ver, se o sujeito gosta de ETs, vem como ET, se gosta de mestre ascencionado vem como mestre ascencionado, e assim vai. Inclusive ele conhecia a pessoa que atendemos de uma vida muito antiga onde essa pessoa foi um sacerdote egícpio. Naquela época esse líder dos aliens se apresentava como o deus Anúbis, aquele com cabeça de chacal, ele até me disse que fez a travessia para muita gente, guiou a alma de muitos mortos naquela época. Mas agora a modinha são os ETs, os humanos já não acreditam mais que estão sozinhos no universo e anseiam por um contato com seres extraterrestres então de certa forma ele expandiu seu público. Segundo nos informou nossa equipe espiritual a ufolândia, o parque temático do líder dos aliens já foi frequentado por mais de 800.000 pessoas. Esse espírito foi sacerdote numa cultura pré-egípcia, fazia sepultamentos e rituais de passagem, e está sem reencarnar desde aquela época, há mais de 5.000 anos. É um ser inteligente que soube se adaptar as demandas do mercado espiritual e estava em franca expansão. Agora porém, o parquinho foi fechado e ele teve a mente apagada, seus funcionários foram dispensados, e durante algum tempo milhares de espíritos vão vagar sobre o Atlântico perdidos, pois estão condicionados a ir para o parquinho brincar de disco voador e quando chegar lá não vai ter mais nada. A pessoa que atendemos foi um filósofo na Idade Media, um homem que detinha grande conhecimento de astronomia, matemática, química, etc e era muito respeitado, os pais ricos enviavam os filhos para estudar com ele, que tinha muito prestígio na sociedade. Atualmente era disso que ele sentia falta, daquela vida, pois na atual também é professor e não se sentia tão prestigiado, e por ser espiritualista acabou se deixando influenciar pela cultura dos ETs, de se acreditar deslocado de seu mundo original. Daí para ser vampirizado por um ser que já o conhecia há milênios não foi difícil. Precisamos ter a consciência de que não existem atalhos para a iluminação, para a salvação, para o paraíso, para qualquer condição que seja melhor do que a que nos encontramos. Não vai ser ET, mestre ascencionado ou arcanjo que vai nos libertar, a evolução espiritual é algo pessoal e intransferível, cada um faz a sua, ninguém pode evoluir por nós e ninguém, nenhum ser mais elevado, vai te tirar do jardim de infância espiritual em que tu te encontras para te colocar na pós-graduação espiritual.

Se estamos nesse nível é porque ainda não aprendemos a lição, se achar mais espiritualizado, mais evoluído, e fantasiar que não é daqui, que está aqui preso por seres malignos do universo sabe-se lá por qual motivo é não querer encarar a realidade do seu próprio grau evolutivo, que é o grau terrestre mesmo. Muitos espíritos que estagiam na Terra atualmente não foram criados aqui, mas se estão aqui é porque não possuem condições de estar num mundo melhor, quando tivermos essa condição, isso vai acontecer naturalmente, vamos morrer aqui e renascer num mundo melhor. Até lá, temos que procurar fazer deste mundo o melhor possível.

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Insônia

bottom of page