• Gelson Celistre

Exu Zé da Lama

(Publicado originalmente no blog Apometria Universalista em 10/2/2020)


Mais uma história de exu. Num atendimento recente nos deparamos com um outro exu, que se apresentava como Zé da Lama. As pessoas que frequentam terreiros costumam idolatrar essas entidades e fazem tudo que lhes recomendam, achando que são seres superiores, que possuem alguma luz maior que a deles, mas na maioria das vezes essas entidades são pessoas comuns que estão ali apenas interpretando um papel.

Após desmanchar um trabalho que ele faz na casa de uma frequentadora do terreiro, dizendo que seria para proteção, para o bem, quando na realidade era para o mal, para que a pessoa não se sentisse bem na casa e quisesse vender, puxei o Zé da Lama para uma conversinha.

A primeira coisa que fiz foi perguntar de onde ele tirou esse nome, Zé da Lama, pois nunca tinha ouvido falar. Fiz até uma pesquisa no Google e encontrei apenas duas referências na pesquisa. Mas enfim, o seu Zé disse que foi ele mesmo quem escolheu, porque foi de onde ele veio, ele veio de baixo e se orgulhava disso.

Mas aí perguntei quem ele era antes de ser exu, ele não queria falar, mas fiz ele lembrar e o médium ver. Ele era bancário, chegou a ser gerente de agência, era um cara grandão e gordo, e passava a conversa nos clientes para fazerem investimentos que não rendiam quase nada para eles mas que eram bons para o banco.

Morreu de infarte, caiu desfalecido sobre a mesa enquanto comia alguma coisa. Como era frequentador assíduo de um terreiro onde mandava fazer trabalhos para diversas finalidades, como abrir caminhos, conseguir dinheiro, alguma mulher que se interessava, para convencer os clientes e etc, assim que morreu já foi levado como escravo para aquele terreiro, onde ficou executando as funções mais baixas, mais repugnantes.

Ficou um tempo como escravo, mas como era ambicioso e aprendia rápido, ganhou reconhecimento dos “colegas” e se nomeou Exu Zé da Lama, porque ele veio de baixo. Veio com aquele papo de sempre, de que só ajuda as pessoas e que não era mau, então lhe mostrei como seria seu futuro. Nasceria pobre, ia lutar muito para conseguir as coisas, mas nunca ia ter nada.

Ele não gostou do que viu, achou que era invenção minha a princípio, mas lhe mostrei que era consequência direta das ações dele, que acabou se convencendo de que esse futuro poderia ser real, mas ainda assim achava que conseguiria reverter. No final seu Zé da Lama foi preso junto com alguns colegas dele do terreiro e vai ter que encarar o próprio karma.


33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo