top of page

Rei Leopoldo II e o Congo

Atualizado: 30 de jun. de 2023

Entre os anos de 1877 e 1908 o Rei Leopoldo II da Bélgica foi dono de um extenso território na África Central que a partir de 1885, depois dessa posse ser ratificada pela Conferência de Berlim, em que as grandes potências da época dividiram a África entre si, passou a se chamar Estado Livre do Congo. Devido a denúncias de inúmeras atrocidades cometidas contra os congoleses, em 1908 a posse desse território passou para a Bélgica, permanecendo como colônia belga até sua independência em 1960, mas logo após a independência as Forças Armadas belgas patrocinaram uma ditadura na República Democrática do Congo que durou 32 anos.

Não vamos nos alongar nos detalhes, pois existem vários vídeos sobre as atrocidades cometidas pelo Rei Leopoldo II no Congo. Os congoleses eram submetidos a trabalhos forçados e sofriam castigos como estupro, tortura, assassinatos e mutilações como amputação de mãos e pés ao não atingirem as cotas de extração de borracha imposta pelos colonizadores. Para se ter uma ideia, a estimativa de negros escravizados trazidos ao Brasil durante todo o período da escravidão, mais de três séculos, é de 4 milhões. Nas três décadas do domínio de Leopoldo II a estimativa é de que tenham sido mortos cerca de 10 milhões de congoleses.

Há cerca de duas semanas minha esposa que é médium viu uma chamada de vídeo no Youtube sobre as atrocidades cometidas pelo Rei Leopoldo II da Bélgica no Congo e sentiu medo, ela já conhecia a história e não quis assistir o vídeo para não entrar em contato com essa energia. Logo depois ela queimou a mão com o vapor de uma chaleira que estava em nosso fogão a lenha, estávamos em nosso sítio, e quando retornávamos para nossa casa na cidade ela sentiu muita dor na mão e teve a intuição de que tinha alguma coisa a ver com o Leopoldo II.

No dia seguinte já em nossa casa fizemos um atendimento para verificar do que se tratava, apesar de minha esposa estar relutante, e assim que abrimos a reunião ela já se conectou com o espírito do Leopoldo II. Ele estava irascível e a ameaçou, pois disse que sabia que estavam querendo tirar as mãos que eram dele. As mãos a que ele se referia foram as que ele mandou amputar dos africanos e que eram enviadas para ele na Bélgica em balaios. Encontramos mais de 250.000 mãos junto com o Leopoldo II que ele tinha orgulho em possuir.

Nossa equipe espiritual recolheu essas mãos, que posteriormente foram recolocadas nos espíritos que as tiveram amputadas e que estavam presos ao Leopoldo II. Havia um tipo de forte no astral onde cerca de 150.000 espíritos belgas mantinham oito milhões de espíritos de congoleses presos. Esses espíritos belgas foram presos e os congoleses foram libertados. O Leopoldo II foi levado como prisioneiro também e nos informaram que ele não vivi nesse local em que fizemos o resgate, mas em outro associado à Bélgica, num local menos denso, mas minha esposa estava muito abalada com o desgaste emocional e energético e não pudemos investigar mais. Nossa equipe espiritual nos informou que estavam planejando esse resgate há três anos.

Essa semana um cliente nosso também viu uma reportagem sobre o Rei Leopoldo II da Bélgica e apesar de não sentir nada na hora, como é de costume pois ele tem mediunidade, quando foi dormir teve um sentimento de medo muito forte e lembra de ter sido ameaçado em sonho, estava com uma sensação ruim e nos solicitou o atendimento. Como não existem coincidências antes de atendê-lo convenci a médium a verificar qual a ligação dela com o Leopoldo II, pois ela teve uma reação emocional exagerada em relação a esse caso e eu sabia que devia ter alguma coisa pessoal que ela não queria ver.

Inicialmente nossa equipe espiritual informou que muitos belgas que se beneficiaram da exploração dos congoleses tanto no período do Leopoldo II como após quando ficou sendo uma colônia belga estão reencarnados na República Democrática do Congo atualmente. Depois ela foi levada em desdobramento a uma região do astral onde vivia o Leopoldo II junto com outros membros da família real belga, 38 no total, que viviam todos numa enorme torre de formato cônico, dourada, sem janelas, com cerca de 200 metros de altura.

Dentro dessa torre, na base, havia mais de cinco milhões de espíritos de congoleses aprisionados e cuidando deles mais uns 10.000 espíritos belgas. Nossa equipe prendeu os espíritos belgas, inclusive a família real, e libertou os congoleses. Cerca de 30% dos cinco milhões de congoleses aprisionados eram encarnados em desdobramento, que eram vampirizados para manter a estrutura e os moradores belgas da torre, que nós destruímos

A médium então sob forme emoção e choro incorporou o espírito de uma mulher congolesa que era uma líder tribal quando os homens de Leopoldo II chegaram e que achou que seria bom para o Congo se tornar uma colônia belga, ela inclusive convenceu outras tribos a aceitar a dominação, achou que os apoiando ficaria chefiando uma área, mas quando ela viu a violência e atrocidades se arrependeu, se rebelou e foi condenada a morte por traição, foi queimada viva. Essa mulher congolesa era filha da médium naquela vida.

Quanto ao cliente que nos solicitou o atendimento, ele foi uma criança congolesa que presenciou toda essa violência, foi submetido a trabalhos forçados e viu seus amigos e membros da sua tribo serem torturados e mutilados e tinha muito medo de que acontecesse isso com ele, mas ele morreu com 11 anos de idade em razão da exaustão, inanição e doenças. Quando leu a reportagem ele no astral foi tentar verificar a situação para ajudar os congoleses e acabou sendo visto por um espírito belga, que ficou perto dele o ameaçando. Nós retiramos de perto dele o espírito belga e prendemos junto com os demais belgas. Esses membros da família real belga que viviam na torre tinham planos de reencarnar e dominar novamente o Congo.

Posts Relacionados

Ver tudo

Comentários


bottom of page