top of page

O mestre da viagem astral

Atualizado: 27 de jun.

Cerca de 50 dias após atendermos uma cliente nossa que experimentou ayahuasca, vide o post Ayahuasca: o combinado não sai caro, ela retornou com outra situação para tratarmos. Ela relatou estar sentindo já antes de experimentar ayahuasca um grande cansaço, esgotamento, um desânimo para fazer qualquer coisa. E depois do atendimento sobre a ayahuasca, mesmo nós a informando das consequências, lhe vem a mente que ela deveria experimentar novamente.

Um fato interessante é que as vezes ela nos contata pedindo atendimento para o mesmo dia e nossa agenda está cheia, só poderíamos no dia seguinte, e ela desiste do atendimento. Já aconteceu isso várias vezes e ela nos relatou que sempre que isso acontece no dia seguinte ela se sente melhor e lhe vem a mente que ela fez bem em não esperar o atendimento para o dia seguinte, que teria gasto dinheiro à toa pois ia melhorar de qualquer jeito. Porém, no outro dia já volta a se sentir mal novamente.

Esse tipo de coisa é comum quando estamos sendo obsidiados ou estamos com algum encosto que não quer ser descoberto, quando a pessoa procura ajuda o espírito se afasta um pouco para a pessoa pensar que melhorou e desistir de solicitar atendimento.

Ao sintonizarmos com ela a médium percebeu que parte do corpo astral dela estava desacoplado do corpo físico. Ela estava com o corpo da cintura para baixo desacoplado, mas as pernas não estavam na posição normal, estavam acima da cabeça, como se ela estivesse com o corpo astral de cabeça para baixo em relação ao corpo físico. Nós a reacoplamos corretamente ao corpo físico e verificamos o motivo dela estar desse jeito.

Numa vida passada há cerca de 6.000 anos onde hoje é território da China essa nossa cliente já foi aprendiz de um mestre ocultista e feiticeiro que estudava muito viagem astral. Ele morreu e no astral seguiu intuindo sua pupila sobre os procedimentos para conseguir se projetar na dimensão astral. Como estudioso dos canais e meridianos por onde circula a energia ele achou que poderia fazer algumas desconexões em alguns pontos que ligavam o corpo astral dela ao corpo físico para que ela conseguisse se projetar com facilidade sempre que desejasse.

Inicialmente ele conseguiu desconectar a parte de baixo do corpo astral dela, as pernas, com cirurgias espirituais, mas o efeito colateral foi esse que vimos, se a conexão energética natural elas não ficavam mais acopladas ao corpo físico, ficavam flutuando como se fossem um balão preso à cintura da mulher. Ele foi mais fundo e cortou as ligações do tronco do corpo astral com o físico e foi demais, a pupila dela acabou morrendo devido a essas cirurgias espirituais pois ele acabou cortando o cordão de prata que liga o corpo astral ao físico.

Ele nos relatou que após várias outras vidas ele estava vagando num limbo até ser chamado novamente por sua pupila na vida atual, provavelmente em algum momento em que ela leu ou estudou sobre viagem astral, mas ele não estava conseguindo se aproximar muito dela, por isso ele a intuiu a tomar ayahuasca, pois sabia que isso facilitaria a conexão dele com ela. Ao contrário do que os usuários de ayahuasca apregoam, ela não expande a consciência, a ayahuasca expande a percepção, e uma vez expandida a pessoa se conecta com entidades de baixa vibração que vão a vampirizar e fascinar.

Nós obliviamos o mestre da viagem astral sem volta e o encaminhamos para reencarnação. A nossa cliente foi encaminhada para um hospital no astral onde iria ficar alguns dias para que as conexões energéticas dela fossem reparadas, pois quando ela tomou ayahuasca e o antigo mestre se aproximou dela ele voltou a refazer as cirurgias espirituais de desconexão nela, queria descobrir onde errou para que no futuro pudesse aplicar a técnica nele mesmo.

237 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page