top of page
  • Gelson Celistre

Compulsão alimentar - Caso 3

Atendemos novamente uma mulher que já havíamos atendido no ano passado em outubro, cujo relato está na postagem Compulsão alimentar. Na referida postagem relatamos quatro casos de compulsão alimentar que havíamos atendido e essa mulher é o Caso 3. Na ocasião já comentamos que ela queria tratar três temas distintos num único atendimento e tentamos fazer o possível pois cada atendimento é para um tema. Depois de uma semana do atendimento ela ainda nos contatou reclamando que não sentiu efeito e fizemos uma revisão na qual encontramos outra situação e a tratamos, embora no primeiro atendimento já tivéssemos feito o que deveríamos.

Algumas pessoas querem que num único atendimento se resolvam vários problemas, geralmente de difícil solução, que elas têm há anos em vários setores de suas vidas. Para isso são precisas várias consultas e a pessoa geralmente só quer pagar por uma. É preciso observar também a questão kármica envolvida pois em muitos casos é preciso se retirar algumas camadas de energia para se chegar ao cerne do problema. Esse caso exemplifica bem isso.

A mulher ainda está praticamente com os mesmos problemas anteriores, acrescido de pensamentos suicidas. Disse que sente: "Desânimo, pensamentos suicidas, falta de ânimo pra trabalhar e as coisas do cotidiano, relacionamentos difíceis, looping de abandono." Disse que tentou outras terapias nesse tempo mas como não deram o resultado que ela esperava resolveu recorrer novamente à apometria.

Quando fizemos o atendimento ela se desdobrou e se manifestou espontaneamente dizendo que não queria saber de vida passada, queria que resolvêssemos os problemas que ela tem agora, nessa vida. Tive que esclarecer para ela que os problemas de hoje possuem raízes no passado, raízes que as vezes ainda nos mantém presos ao passado e que para tratar o presente muitas vezes temos que voltar ao passado e arrancar essas raízes. Depois disso a adormecemos e a enviamos de volta ao seu corpo físico.

Além disso enquanto conversamos com ela desdobrada ficou claro para nós que apesar do que ela relatou seu maior problema é que ela quer arrumar um bom marido, um homem que lhe dê tudo que ela acha que merece, e na idade em que se encontra já queria ter encontrado esse príncipe. Seu maior temor é chegar aos 30 anos de idade solteira. Esse ponto é interessante pois muitas vezes a pessoa pede atendimento para uma coisa quando no fundo ela quer tratar outra coisa que não quer admitir nem para ela mesma. No caso o problema maior dela é a questão são relacionamentos amorosos pois ela sonhou muito com algo que ainda não aconteceu e ele teme que não aconteça, é o velho sonho do príncipe encantado.

E essa questão dos relacionamentos nos levou a outra vida passada dela, uma vida até recente, no início dos anos 1900. Nessa vida passada essa mulher foi casada com um homem pobre que bebia muito álcool e lhe batia muito. Ela teve quatro filhos com esse marido e um dia após ter levado uma surra do marido, que também batia nos filhos, ela resolveu dar um fim em sua vida. Ela envenenou a própria comida e morreram ela e os quatro filhos envenenados.

Apesar dela ser vítima de violência doméstica e estar desesperada, tecnicamente ela assassinou os quatro filhos e cometeu suicídio. O filho mais velho tinha 7 anos de idade, os outros tinham cinco e três anos e o caçula ainda era um bebê com poucos meses de vida. Essas crianças ficaram presas nessa frequência de vida passada no momento da morte, todos sentados à mesa, inclusive ela com o bebê no colo, comendo sua última refeição. Nós resgatamos as quatro crianças e fechamos a frequência.

A conexão com a compulsão alimentar é clara, quatro espíritos morreram fazendo uma refeição juntamente com ela e estavam revivendo essa situação indefinidamente, mas além de estar com essa frequência aberta ela trouxe dessa vida passada o marido como obsessor, pois o marido ficou com muito ódio dela ter se matado e saido de seu controle. O marido obsessor disse que não permitiria que ela arrumasse um bom marido na vida atual porque ela não se contentou com o que ele podia dar para ela. Esse obsessor atuava nos relacionamentos dela para darem errado. Apagamos a mente dele e o encaminhamos para reencarnação.

Quando ela morreu naquela vida passada a mãe dela ficou com muito remorso, pois foi a mãe quem arrumou o marido para a filha, que não queria, e a obrigou a se casar. Essa mãe é quem potencializava na consulente o desejo de encontrar um bom marido, bem como os pensamentos suicidas pois a mãe dela nos disse que se ela não encontrar o tal bom marido iria ajudar a filha a cometer suicídio, para que nascesse de novo e tivesse novamente a chance de encontrar esse bom marido, pois ela, a mãe, iria ajudá-la. Também teve a memória apagada e foi encaminhada para reencarnação.

Um caso bastante complexo que envolve várias situações de vidas passadas, vários obsessores, tem o karma de ter matado os filhos e se suicidado, uma séria de situações que ela está resgatando na vida atual, e ela não quer saber de vida passada. Não tem como entender e tratar o presente sem tratar o passado.

255 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page