top of page

Naufrágio na Grécia

No mês passado houve o acidente com o submersível Titan e nós fizemos o resgate das cinco pessoas que estavam no submersível, revelamos as causas kármicas e relação com o naufrágio do Titanic. Alguns dias antes havia ocorrido um naufrágio na costa da Grécia no Mar Mediterrâneo em que um barco pesqueiro superlotado com migrantes levou a morte de centenas de pessoas, incluindo dezenas de crianças. Os migrantes eram em sua maioria do Egito, Síria e Paquistão e o barco em que viajavam havia partido da cidade de Tobruk, na Líbia, estimam que havia cerca de 750 pessoas a bordo e pouco mais de uma centena foi resgatada com vida. O objetivo dos migrantes era chegar na Itália, sua porta de entrada para a Europa.

A mídia internacional deu pouca importância para o naufrágio ocorrido no Mediterrâneo em que morreram centenas de pessoas, parece que houve até omissão da guarda costeira da Grécia, mas deu muita atenção ao acidente do submersível Titan, no qual morreram apenas cinco pessoas, em sua maioria bilionários, e houve uma grande mobilização para o resgate com embarcações dos EUA e Canadá, com ampla cobertura midiática.

A meu ver o acidente do submersível Titan envolvendo o naufrágio mais famoso da história, o do Titanic, veio bem a calhar para mudar o foco das pessoas sobre a questão da migração e a responsabilidade que os países europeus têm sobre da população de países que eles exploraram tanto. Não foi o primeiro naufrágio de barco com refugiados, isso ocorre há muitos anos e só neste ano contabilizaram mais de mil mortes de migrantes no Mar Mediterrâneo.

A nossa motivação para efetuar o resgate do submersível Titan foi sua relação com o naufrágio do Titanic pois havia oito espíritos presos aos destroços desde o naufrágio, 111 anos, devido a parentes deles que esperavam que os culpados pelo naufrágio pagassem pela morte deles com suas próprias vidas. Hoje efetuamos o resgate dos migrantes que morreram no naufrágio da Grécia, faz pouco mais de um mês que ocorreu o naufrágio, então não tiveram que esperar muito tempo.

O número de espíritos que resgatamos no naufrágio na Grécia foi de 679, sendo que 178 eram crianças. Além desses náufragos resgatamos mais uns 10.000 espíritos que morreram no Mar Mediterrâneo em outras épocas e que por algum motivo ainda estavam presos ali. Quando efetuamos o resgate um espírito se manifestou indignado conosco por termos resgatado os migrantes naufragados. Disse que esperou 5.000 anos por isso e que eu deveria deixá-los onde estavam.

Esses migrantes mortos todos faziam parte de um povo que não consegui descobrir o nome, mas que há uns 3.000 anos antes de Cristo dominou as rotas marítimas do Mediterrâneo. Segundo nos disseram vários povos utilizavam essas rotas marítimas e houve uma guerra que durou mais de 10 anos desses povos contra um outro povo que queria o controle total das rotas, eles venceram e depois disso dominaram essas rotas por mais de um século.

Esse processo todo, a guerra pelas rotas marítimas e o seu posterior domínio e controle por um único povo causou a morte de milhares de pessoas de pequenas comunidades que necessitavam de produtos e alimentos obtidos através do comércio marítimo. Esse espírito que estava indignado conosco era dono de quatro navios e líder de uma comunidade de mais de 2.000 pessoas, seus navios foram afundados e em sua comunidade todos morreram.

Apesar de ter tido muitas outras encarnações depois daquela, esse espírito prometeu vingar o seu povo e acaba sempre voltando para essa frequência; estava se sentindo satisfeito com o naufrágio de parte daqueles que acabaram com o povo dele, mas disse que não considerava a vingança completa por termos resgatado as vítimas do naufrágio. Além dele havia mais uns 300 espíritos que viveram naquela época presos nessa frequência. Apagamos a mente do espírito indignado e dos outros que estavam presos na frequência e a fechamos.

Posts Relacionados

Ver tudo

Polacas

2 comentários


Jarbas
Jarbas
23 de jul. de 2023

Noa noite, Gelson.

Realmente a mídia e sensacionalista de acordo com os interesses dos governos, desprezando, como sempre, os menos favorecidos. Ainda mais em se tratando de verdadeiros apátridas. Mas lendo este post lembrei de outras tragédias, porém não no mar, mas no ar.

Como a queda do Airbus A320, de matrícula PP-MBK, que decolou às 17h19 de 17 de julho de 2007 do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Às 18h54, o avião aportava no aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista. E se chocou contra um prédio da própria companhia, deixando 199 mortos (sendo 187 no avião e 12 em solo).

Também houveram os acidentes, no dia 29 de setembro de 2006, um boeing da Gol,…

Curtir
Gelson Celistre
Gelson Celistre
23 de jul. de 2023
Respondendo a

Fizemos vários resgates de acidentes aéreos, tem skguns aqui no site, dá uma olhada na seção Resgates.

Curtir
bottom of page